Resenha: Jogador Nº 1 - Ernest Cline

Título do livro: Jogador Nº 1
Autor(a): Ernest Cline
Número de páginas: 462
Editora: LeYa
Sinopse: O ano é 2044 e a Terra não é mais a mesma. Fome, guerras e desemprego empurraram a humanidade para um estado de apatia nunca antes visto. 
 Wade Watts é mais um dos que escapa da desanimadora realidade passando horas e horas conectado ao OASIS – uma utopia virtual global que permite aos usuários ser o que quiserem; um lugar onde se pode viver e se apaixonar em qualquer um dos mundos inspirados nos filmes, videogames e cultura pop dos anos 1980.
 Mas a possibilidade de existir em outra realidade não é o único atrativo do OASIS: o falecido James Halliday, bilionário e criador do jogo, escondeu em algum lugar desse imenso playground uma série de Easter Eggs, e premiará com sua enorme fortuna – e poder – aquele que conseguir desvendá-los. E Wade acabou de encontrar o primeiro

Resenha: Em Jogador Nº 1, somos transportados a um mundo completamente diferente do que conhecemos. O ano é 2044, os recursos ambientais já estão praticamente esgotados, a fome atinge cada vez mais pessoas e as taxas de desemprego estão em níveis altíssimos.

 Paralelo à tudo isso, a tecnologia nunca esteve tão avançada. Graças a James Halliday e seu melhor amigo e sócio Ogden Morrow,  a população pode ainda ter um pouco de esperança e alegria em suas vidas miseráveis. Tudo isso devido à existência do OASIS: um jogo de imersão virtual repleto de referências à década de 80, totalmente realista que permite que o jogador viva em um novo universo, tenha uma nova identidade e possa fazer tudo o que seu mundo real limitado não permite. No OASIS tudo é possível!


"Por questões de zona e navegação, o OASIS havia sido dividido igualmente em 27 "setores" em forma de cubos, cada um deles contendo centenas de planetas diferentes."

 Wade Watts é um adolescente que mora em uma pilha de trailers com sua tia e outros estranhos. Excluído socialmente, introvertido e tendo como única amiga uma vizinha sua de mais de 70 anos, passa o dia inteiro dentro do jogo. Apesar dos recursos limitados dentro da simulação, uma vez que não tem dinheiro para realizar viagens e comprar itens, se sente melhor e mais feliz quando está explorando e conversando com seus amigos, do que na sua própria casa.

 Até que um dia, James Halliday o criador do OASIS, vem a falecer. Como nunca fora casado e não tem nenhum familiar que possa herdar sua fortuna, resolve organizar um concurso dentro da simulação para que um jogador inteligente e corajoso possa merecê-la. Com um vídeo explicativo enviado a todos os usuários por e-mail no dia do anúncio da sua morte, Halliday deixou a primeira pista de três, que levariam até um Easter Egg escondido dentro do próprio OASIS. Quem o encontrasse, seria o grande vencedor.

"A Caça, como o concurso passou a ser chamado, rapidamente chegou ao conhecimento de todos. Assim como ganhar na loteria, encontrar o Easter Egg de Halliday se tornou uma fantasia popular entre os adultos e também entre as crianças."

 O concurso ficou conhecido como A Caça e atraiu caça-ovos (como os jogadores que procuravam o Easter Egg ficaram conhecidos) do mundo todo. A mídia ficou alvoroçada com o grande anúncio de Halliday, até que os anos foram passando e ninguém chegou ao menos perto de encontrar o sonhado Easter Egg.

 Cinco anos depois, Wade Watts encontra o primeiro portão que dá acesso à segunda das três pistas necessárias para chegar até o ovo. As coisas então começam a ficar mais complicadas ainda. Já que além dos caça-ovos, uma empresa internacional conhecida como IOI tem grande interesse em encontrar o Easter Egg, mas por motivos nada honestos..



 Jogador Nº 1 é uma leitura que ultrapassa  nossas expectativas. A obra de ficção científica é narrada em primeira pessoa por Wade Watts, e vemos todos os acontecimentos pelo seu ponto de vista. Por ser muito bem desenvolvida e minuciosamente detalhada, a narrativa adquire um tom ainda mais realista. O que, infelizmente, muitas vezes a torna arrastada e repetitiva. O que não atrapalha a leitura, mas acaba irritando em alguns momentos (mais de 400 páginas, não tem como não ter um pouquinho de enrolação, né?).

 Um dos principais pontos positivos a respeito do livro, é a maneira como a tecnologia é abordada. O autor praticamente despeja um manual completo do OASIS e todos os mundos que fazem parte da simulação, além de mostar como um simples "jogo" mudou a  realidade e influenciou na criação de um novo estilo de vida. As pessoas se tornaram preguiçosas, introvertidas, dependentes da tecnologia e o contato físico entre seres humanos é tecnicamente extinto. É mais fácil criar relações dentro do OASIS, do que no mundo real.

"Ali, sob as luzes fluorescentes de meu pequeno apartamento de um cômodo, não havia modo de escapar da verdade. Na vida real, eu não passava de um ermitão antissocial. Um recluso. Um geek pálido, obcecado pela cultura pop. Um introvertido agorafóbico, sem amigos, família ou contato com as pessoas. Eu era apenas mais uma alma triste, perdida e solitária, desperdiçando a vida em um videogame."

 As referências aos anos 1980 também são outro detalhe interessante na narrativa. Como James Halliday pertenceu à época, adquiriu um certo vício por tudo que remete à ela e fez questão de incorporar seus gostos pessoais no OASIS. Durante a caçada de Wade ao Easter Egg, somos apresentados à filmes, jogos (principalmente!), atores e outros elementos que marcaram o período.

 As histórias de ficção científica geralmente seguem um roteiro pronto, e dificilmente são diferentes uma das outras. Mas isso não acontece com Jogador Nº 1. O autor conseguiu fazer da narrativa uma história brilhante e original, repleta de reviravoltas e bem realista. Não é difícil num futuro próximo, nos encontrarmos na mesma situação em que Wade. Já somos dependentes da tecnologia e conforme ela vai avançando, a tendência é que isso se agrave.

"Três chaves escondidas abrem três portões guardados
E três boas qualidades deverão ser inerentes ao errante avaliado 
Quem demonstrar ter os exigidos predicados  
Chegará ao fim, onde o prêmio será alcançado."

  Jogador Nº 1 foi uma leitura interessante e surpreendentemente boa, que foge de todos os estereótipos das ficções científicas que conhecemos, e realiza uma crítica concisa e necessária. Fazendo desta, uma leitura imprescindível para todos os fãs do gênero literário.

Classificação:






18 comentários:

  1. Oi, Laura como vai? Parabéns pela resenha, ficou brilhante! Eu curto bastante ler ficção científica, apesar de não ser o meu gênero literário favorito, gosto de ler de vez em quando até para fugir de minha confortável zona de conforto. Como você mencionou, um dos problemas( o maior deles na verdade) da ficção científica é seguir de maneira exagerada um roteiro pronto, quase todas as obras de ficção científica que eu li tinham o roteiro já pronto, infelizmente. Foi muito bom o autor ter fugido dessa mesmice roteiristica nesse livro, o que gera no leitor uma curiosidade necessária para ler a obra. Adorei sua resenha, abraços!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luciano! Estou bem e você? Que bom que gostou da resenha :D
      Eu sou suspeita em falar, porque ficção científica é um dos meus gêneros literários favoritos haha ♥ Sim, é bem verdade isso, né? É bem complicado achar uma história com um roteiro original, ou que foge dos padrões. Essa é uma leitura que recomendo de olhos fechados :D

      Excluir
  2. Oi, Laura!

    Que lindas que ficaram as fotos que você tirou, eu adorei!! E esse livro é demais, lembro que quando li foi uma experiência incrível, a gente se vê dentro da história, vivendo junto dos personagens e ao meio do jogo. Ótima reenha!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol! Aaa fico feliz em ver que gostou ♥ Deu um pouquinho de trabalho tirá-las, mas valeu a pena, né?
      Foi bem isso que senti mesmo! Parecia que era eu quem estava dentro do OASIS procurando o Easter Egg haha. E fico feliz em ver que gostou :D

      Excluir
  3. muito bacana conhecer esse livro, adoro uma boa distopia, e se essa tem referencias anos 80 mais legal ainda! adorei sua resenha e fiquei curiosa pra ler

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lívia! É bem interessante, né? As referências aos anos 80 foram uma das minhas partes favoritas ♥ Eu recomendo e muito!

      Excluir
  4. Oiii Laura

    Fico feliz em saber que vc gostou do livro, comigo infelizmente não funcionou, achei tudo tãooooo lento que ficava com preguiça de ler e acabei largando, quem sabe um dia retome. Arrasou nas fotos.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii, Ivy!
      Poxa, sério? :( Eu senti um pouquinho isso também. Tanto que mencionei na resenha que às vezes a leitura se arrastava e ficava repetitiva, sabe? Mas a minha curiosidade acabou se tornando maior haha e gostei tanto da história que "passei pano" pra esse detalhe hihi.
      Que bom que gostou das fotos ♥

      Excluir
  5. Eu amei a resenha e me lembrou muito quando eu li e amei. Eu fiquei um tempão querendo o filme e quando saiu, eu meio que esperava mais haha
    A história e os detalhes são incríveis
    Beijos
    http://www.dearlytay.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tayane! Que bom que gostou ♥ O livro é incrível, né? Ainda não assisti ao filme, mas vi o trailer e já fiquei decepcionada haha. Mas pretendo vê-lo na íntegra e trazer uma comparação com o livro aqui no blog :D

      Excluir
  6. Oi Laura,
    Não é um livro que chame minha atenção, tanto que nem assisti ao filme quando foi lançado.
    Acho que não sou uma pessoa muita amiga desse games.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ale! Ah sim entendo :D O filme eu também não vi, mas pretendo. Embora tenha ficado bastante decepcionada com o trailer haha :( Porque as adaptações fogem tanto? #chateada
      Eu não me considero 100% geek, mas é um tema que eu curto e vê-lo numa narrativa literária foi bem interessante.

      Excluir
  7. Olá, Laura.
    Eu fui ler esse livro depois de uma resenha bem negativa e fui meio sem expectativas e acabei amando. Nem vi o tamanho dele e muito menos que é de um gênero que eu nem sou tão fã hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil! Como alguém consegue não gostar desse livro? :O
      As mais de 400 páginas passam rapidinho, né? E eu que amo ficção científica, fiquei apaixonada haha ♥

      Excluir
  8. Oii!
    Eu nunca vi o filme e nem ao menos li o livro. Tinha viso o trailer e mesmo amando sci-fi eu não tinha sido "pega" pelo que vi mas sua resenha me deixou bem curiosa para ler. Espero gostar tanto quanto você, até porque sou bem fã do gênero.

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Larissa! O trailer traz algumas decepções mesmo. Tenho quase certeza que eles alteraram bastante coisa do roteiro original do livro :( Que bom que gostou da resenha ♥ Também espero que goste e se ler, não esquece de me contar o que achou!

      Excluir
  9. Oi Laura,tudo bom?
    Fiquei com saudades desse livro lendo sua resenha!
    Embora não tenha vivido os anos 80,cresci jogando vídeo games e me identifiquei pra caramba com muitas coisas desse livr.
    A ideia do autor foi genial,abordando não só as tecnologias mas a relação das pessoas com elas,seus pontos positivos e negativos.
    Ainda preciso ver a adaptação!
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cláudio! Tudo sim e você?
      É uma leitura inesquecível, né? Eu tenho um grande fascínio pela década e queria muito ter crescido nela! As músicas, os filmes e jogos eram incríveis!
      Esses foram com certeza um dos pontos que mais gostei: a relação das pessoas com a tecnologia. Vi que o filme vai passar essa semana na TV e já agendei um lembrete pra não perder haha

      Excluir

Oba! Leu o post e quer comentar? Fico muito feliz em saber! Não se esqueça de deixar o link do seu blog e/ou site para que eu possa retribuir.
Comentários como "Amei seu blog, sdv?" serão ignorados! Leia o post e seja gentil ♥