Resenha: Coraline - Neil Gaiman


Título do livro: Coraline
Autor(a): Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Número de páginas:
Sinopse: Certas portas não devem ser abertas. E Coraline descobre isso pouco tempo depois de chegar com os pais à sua nova casa, um apartamento em um casarão antigo ocupado por vizinhos excêntricos e envolto por uma névoa insistente, um mundo de estranhezas e magia, o tipo de universo que apenas Neil Gaiman pode criar.

 Ao abrir uma porta misteriosa na sala de casa, a menina se depara com um lugar macabro e fascinante. Ali, naquele outro mundo, seus outros pais são criaturas muito pálidas, com botões negros no lugar dos olhos, sempre dispostos a lhe dar atenção, fazer suas comidas preferidas e mostrar os brinquedos mais divertidos. Coraline enfim se sente... em casa. Mas essa sensação logo desaparece, quando ela descobre que o lugar guarda mistérios e perigos, e a menina se dá conta de que voltar para sua verdadeira casa vai ser muito mais difícil — e assustador — do que imaginava.


 Publicado pela primeira vez em 2002, Coraline foi o primeiro livro de Neil Gaiman para o público infantojuvenil e se tornou uma das obras mais emblemáticas do escritor. Repleta de elementos ao mesmo tempo sombrios e lúdicos, a história conquistou crianças e adultos em todo o mundo e, em 2009, ganhou as telas de cinema em uma animação dirigida por Henry Selick, de O estranho mundo de Jack. Nesta edição especial em capa dura, com introdução do autor e projeto gráfico exclusivo, coube ao renomado ilustrador Chris Riddell dar vida ao universo mágico e aterrorizante criado por Neil Gaiman.

Resenha: Coraline Jones é uma garota de 11 anos que gosta de explorar e é extremamente curiosa. Ela e seus pais estão de mudança para um enorme casarão, que é dividido em apartamentos.

 Dessa forma, eles dividem o imóvel com outros três vizinhos: um homem meio maluco que diz ser dono de uma trupe de ratos circenses e duas senhoras simpáticas que eram atrizes de teatro na juventude.


"Coraline descobriu a porta logo depois que eles se mudaram. Era uma casa muito velha - tinha um sótão sob o telhado e um porão embaixo do chão, além de um jardim cheio de mato com árvores gigantes e antigas."


 Nos primeiros dias a garota se dedica a explorar a casa e os arredores. O quintal é imenso, contando com uma velha quadra de tênis desgastada pelo tempo, um poço aparentemente sem fundo e algumas plantas mal cuidadas.


 Mas logo ela acaba se entediando com a rotina monótona. Seus pais nunca tem tempo para brincar com ela (já que trabalham em casa e passam o dia na frente do computador),  seus vizinhos mal sabem pronunciar seu nome (insistem que ela se chama Caroline, e não Coraline) e tudo parece não ter graça.


" - Os ratos têm um recado para você - cochichou ele.

Coraline não soube o que dizer.

- O recado é o seguinte: "Não atravesse a porta". - Ele fez uma pausa. - Isso faz algum sentido para você?

- Não.

O velho deu de ombros.

- Eles são engraçados, os ratos. Eles entendem tudo errado. Entenderam errado seu nome, sabe. Eles falam Coraline. Não Caroline. Nunca Caroline."


 Até que Coraline descobre uma porta estranha em um extremo da sala de visitas. Na primeira vez em que abre, encontra apenas uma passagem murada, provavelmente feita durante a divisão da casa. Mas um belo dia, os tijolos dão lugar a um longo corredor que leva a um apartamento idêntico ao seu.


 Ou melhor, quase idêntico. Nessa versão paralela de seu mundo, aparentemente tudo é melhor. Os vizinhos são mais interessantes, a comida mais saborosa e seus pais estão sempre ao seu dispor. Com uma pequena diferença: todos nesse lugar possuem botões pretos e brilhantes no lugar dos olhos.


" - Estamos esperando por você há muito tempo - disse o outro pai de Coraline.

- Por mim?

- Sim - confirmou a outra mãe. - Essa casa não é a mesma sem você. Mas sabíamos que você voltaria um dia e que seríamos uma família de novo. Quer mais frango?"


 Mas Coraline acaba percebendo que o que antes parecia um sonho realizado, pode vir a se tornar um grande pesadelo. Sua Outra Mãe, antes tão atenciosa e amorosa, agora insiste em que a menina fique com ela para sempre! E para isso, ela precisa fazer um pequeno sacrifício: deixar que costurem botões nos seus olhos.


 Coraline decide sair do lugar o mais rápido possível, antes que as coisas comecem a sair mais do controle. Mas sua Outra Mãe vai fazer de tudo para não colaborar..


"Antes de sair pela porta da frente, Coraline se virou. Os outros pais ainda estavam olhando para ela, acenando e sorrindo."

 Coraline Jones é descrita pelo narrador como uma garota pequena para sua idade. Mas é movida pela curiosidade e desejo de desbravar, o que faz com que as coisas percam a graça facilmente para ela e se sinta entediada mais rapidamente.


 A falta de amigos de sua idade, o desejo de receber mais atenção dos seus pais e a irritação com seus vizinhos, a tornam uma 'presa fácil' para a Outra Mãe, que entrega à ela tudo o que mais deseja.


"Eles entraram na cozinha. Sobre a mesa, havia um carretel de algodão em um prato de porcelana, uma agulha comprida de prata, e logo ao lado, dois grandes botões pretos.

- Acho melhor não - falou Coraline.

-Ah, mas nós queremos tanto! - disse a outra mãe. - Nós queremos muito que fique. É só um detalhezinho.

- Não vai doer - garantiu o outro pai."


 Neil Gaiman consegue com maestria criar uma história infanto juvenil com elementos do universo fantástico e horror. O que contribui para a construção de uma história que encanta várias gerações de leitores há muitos anos.


 O que eu mais gosto na leitura, são os ensinamentos que podemos tirar por meio dela. A importância da família, o cuidado que devemos ter ao desejar algo e que muitas vezes ser corajoso é nossa única opção.


" - Porque coragem é quando você sente medo de fazer algo, mas faz mesmo assim, é quando você enfrenta o medo. - respondeu ela."

 A Outra Mãe deu tudo o que Coraline queria, mas mesmo assim não conquistou o amor e afeto da garota. Porque sentimentos são construídos e baseados numa relação de confiança e cuidado, não por suborno.


 A edição lançada pela Intrínseca no final de Junho está maravilhosa, e você pode conferir mais detalhes dela no post que fiz para o Instagram clicando aqui. As ilustrações do Chris Riddell misturam a imaginação do Gaiman com os elementos criados na versão cinematográfica da história, contribuindo para uma melhor visualização durante a leitura.


 Sendo esta, indispensável principalmente para fãs de histórias como Alice no País das Maravilhas e que ainda se encantam com a magia característica de contos infantis (ainda que eu considere essa classificação bastante errônea!).


" - Eu juro para você - disse a outra mãe. - Eu juro pela sepultura de minha mãe.

- Ela tem uma sepultura? - quis saber Coraline.

- Tem, sim - respondeu a outra mãe. - Eu mesma a sepultei. E quando percebi que estava tentando sair, eu a enterrei de volta."




 

13 comentários:

  1. Eu amo essa animação, mas nunca li o livro, acredita? Quando eu vi a nova edição em capa dura, fiquei apaixonada, pois está realmente muito caprichada. S2 E concordo contigo, sentimentos devem ser construídos, não uma forma de troca/suborno. E essa estória mostra exatamente isso e o valor que sua família tem. Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  2. Essa edição de Coraline está muito linda!!!
    Eu nunca li o livro, mas gosto muito da adaptação. Quem sabe com essa edição maravilhosa não me animo de ler?
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Oi, Laura! Coraline é um dos melhores livros do Neil Gaiman para mim. Esta nova edição ficou linda não é mesmo! Eu ainda não conheço um leitor(a) que não tenha gostado dessa estória. Amei sua resenha, ficou perfeita. Parabéns.Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá...
    Ultimamente esse livro anda sendo tão comentado positivamente que é impossível não desejar a leitura! Amei conferir suas considerações a respeito da obra e, é claro, esse já está nos desejados ;)
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Laura,
    Não sei se é meu tipo de livro, mas eu quero essa edição maravilhosa na minha estante... AH, isso eu quero! kkkkkkkk
    Estou de olho nas promoções desde o lançamento! rs
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. O filme baseado no livro também ficaria top nas mãos de Tim Burton ou Guillermo Del Toro. Mas é claro, a produção de 2009 conquistou muito bem o público, inclusive os adultos, haha. Sobre o livro, demorei pra saber que o filme era uma adaptação e que antes dele existiu o livro de Neil Gaiman, e mais ainda, que o tal livro foi baseado em outra história, no conto vitoriano de Lucy Clifford, chamado A Nova Mãe, ou seja, Coraline já nos vem conquistando a muito tempo.
    Acho que o que realmente encanta nesse livro é justamente o que você disse sobre o equilíbrio entre o horror e a fantasia. E concordo, gosto dos ensinamentos da história e acho errôneo dizer que esse livro é infantil, haha. Arrepiei com o último quote.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  7. Hey Laura! Tudo bem?
    Eu quero muito ler Coraline e quero NESSA EDIÇÃO kkkk
    Amo o Neil Gaiman!
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Volte sempre!

    | Blog Misto Quente |

    ResponderExcluir
  8. Oi, Laura. Tudo bem?
    Eu amo esse livro, li pela primeira vez na escola uma edição de capa marrom e simplesmente me apaixonei. Estou apaixonada por essa edição com ilustrações e capa dura, sua resenha ficou maravilhosa, mostrou todos os pontos da história e ainda o final sobre a Outra Mãe.

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

    ResponderExcluir
  9. Oi
    que bom que gostou da leitura, eu nunca li o livro, porém a história parece ser ótima, mas já assisti o filme e gostei, curti a resenha.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Eu li o livro no começo deste ano mas acabei empurrando ele com a barriga, acho que não estava muito na vibe de fantasias. Preciso reler para apreciar de verdade.
    Eu adoro o filme <3
    Beijos,

    Marcela Miranda

    ResponderExcluir
  11. Eu nunca embarquei nessa história, acredita? E nem mesmo no filme! Preciso mudar isso, urgentemente. Ah! E essa resenha me lembrou de uma agenda que o pai da minha irmã (que já faleceu) me deu de presente! Bateu uma nostalgia, fora que ele sempre me incentivava a ler. Acho que vou ler essa história em homenagem a ele! ♥ E me lembrou muito "Alice no país das maravilhas". ^^ Enfim, amei a resenha. E quanto ao comentário que você fez lá no meu blog: realmente, a Lane tinha que ter ficado com o Dave. Eles eram tão lindos! :)

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir
  12. Oii Laura
    Eu gosto muito da adaptação mas nunca cheguei a ler o livro. Achei essa edição da Intrinseca impecável, quero muito poder comprar.
    Adorei sua resenha.

    Beijinhos.
    http://focadasnoslivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Eu vou ser chata e falar que nesse caso, eu prefiro o filme ao livro. Eu li procurando respostas mas não as encontrei e achei a obra fraca hahaha mas comprei essa edição lindíssima só que algumas páginas vieram rasgadas e tive que devolver :c
    Beijo!
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir

Oi! Primeiramente gostaria de agradecer a sua visita! Fico feliz em ver que quer deixar um comentário, sinta-se em casa!
Pode opinar à vontade e expor suas opiniões, só não vamos gerar brigas e discussões desnecessárias, ok?
Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu possa visitá-lo também, e se gostou do Estante Bibliográfica não esqueça de seguir! Ajuda muito na divulgação ♥
Um beijo e volte sempre!